Gatilhos mentais como ferramenta de Marketing

Todos os dias tomamos diversas decisões: o que comer ou não comer, se iremos para a academia ou iremos passear, a que horas sairemos com o cachorro. E, entre tantas atitudes, os gatilhos mentais aparecem como um atenuante ao nosso cérebro, assim, o inconsciente delibera atitudes no piloto automático, a fim de evitar o esgotamento.

Nossas escolhas acontecem primeiro no inconsciente e só depois vêm à consciência, assistida à uma justificativa racional. Ou seja, os gatilhos mentais passam despercebidos e facilitam nossa tomada de decisões.

Para o Marketing, saber quais são os gatilhos mentais é de alta relevância na hora de montar estratégias de promoção. Para auxiliar você, seguem alguns dos principais gatilhos mentais:

Gatilho da Escassez

Se você só deu valor a algo ou a alguém depois que perdeu, com certeza já vivenciou o gatilho da escassez. Esse sentimento é produzido pelo nosso inconsciente, que gera valor para o conceito de escassez.

Se um produto possui poucas unidades fabricadas, a exclusividade de uma coisa faz com que as pessoas paguem mais por ela. Uma estratégia para exemplificar esse gatilho são as lojas virtuais que passaram a identificar no estoque baixo uma conveniência para vender mais.

Gatilho de Urgência

Este gatilho nos leva a tomar decisões mais rápidas. Um bom exemplo, mesmo não sendo tão popular no Brasil, é a “Black Friday”: limitar o tempo para que o consumidor tome uma decisão aciona o gatilho da urgência, fazendo-o tomar a decisão de compra rapidamente.

Gatilho da Novidade

O que é novo nos desperta curiosidade e o exemplo mais clássico desse gatilho são os lançamentos das novas gerações de iPhone. O valor do status de possuir a novidade primeiro faz com que pessoas se aglomerem e até durmam em frente à Apple Store, para serem os primeiros a comprar o lançamento.

A Apple é especialista em montar ações de Marketing com esse gatilho unidas à estratégia de urgência.

Gatilho da Prova Social

A “massa” tem capacidade de despertar nossa curiosidade. Quando vemos uma propaganda em que milhões de pessoas compraram um produto, no mínimo queremos saber qual é o diferencial, não é mesmo?

Um bom modo de usar esse gatilho é dizer quantas pessoas fizeram um curso que sua empresa oferece ou quantos já baixaram seu e-book. Mas cuidado ao montar essa estratégia: essa propaganda deve apresentar dados reais.

O consumidor não é passivo: ele estuda e busca, e a descoberta de uma mentira é extremamente negativa para a imagem da sua empresa.

Gostou do texto? Está pronto para montar algumas estratégias de marketing baseadas nos Gatilhos Mentais? Conta pra gente aqui nos comentários suas dúvidas.

Deixe um comentário

Faça o login para comentar ou cadastre-se.